Barão Vermelho

É uma banda de rock brasileira. Após assistirem a um show do Queen no Morumbi, em São Paulo, surgiu o desejo do baterista Guto Goffi e do tecladista Maurício Barros, formarem uma banda de rock. Em outubro de 1981, os dois estudantes do Colégio da Imaculada Conceição, no Rio de Janeiro, escolheram o nome Barão Vermelho para a banda. Dias depois, a dupla se uniu com o baixista e ao guitarrista Roberto Frejat. Leo Jaime indicou Cazuza como vocalista do Barão. Após ouvir uma fita demo da banda gravada em 1981, o produtor Ezequiel Neves e o diretor artístico da Som Livre, Guto Graça Mello, convencem o presidente da gravadora, João Araújo, o pai de Cazuza, a lançar a banda. Com uma produção baratíssima, a banda entra em estúdio e grava seu primeiro álbum. Barão Vermelho, que foi lançado em 15 de setembro de 1982. Depois de alguns shows no Rio de Janeiro e em São Paulo, a banda voltou ao estúdio e gravou o segundo álbum, Barão Vermelho 2, lançado em 1983. Só depois que Ney Matogrosso gravou a canção "Pro Dia Nascer Feliz", é que as rádios passam a tocar a versão original do Barão Vermelho, que está no segundo álbum. Nessa mesma época, Caetano Veloso reconheceu Cazuza como um grande poeta e incluiu a música "Todo amor que houver nessa vida" no repertório do seu show. A banda compôs a trilha sonora do filme Bete Balanço, de Lael Rodrigues, em 1984. A banda lançou o seu terceiro álbum, Maior Abandonado, no mesmo ano. Em 1985, o Barão abriu os shows internacionais da primeira versão do Rock in Rio.

 

A saída de Cazuza anunciada primeiramente ao público no final de um show, causou uma ruptura na forte amizade que unia Cazuza e Frejat. Com a sua saída, Cazuza ainda levou consigo algumas músicas para o seu primeiro álbum solo. A banda superou, lançando a música "Torre de Babel", agora com Frejat no vocal. Em 1986, lançaram o quarto álbum, Declare Guerra. O álbum não foi muito promovido, porque Cazuza era filho do presidente da Som Livre, o que gerou conflito de interesses nos bastidores. A banda então, sentindo-se abandonada, assinou um contrato com a Warner e, em 1987, lançou o álbum, Rock'n Geral. No mesmo ano, Maurício deixou a banda, e entraram o guitarrista Fernando Magalhães e o percussionista Peninha. Somente com três dos integrantes originais, a banda lançou, em 1988, o álbum, Carnaval, misturando rock pesado e letras românticas. O álbum estourou nas rádios por conta da música "Pense e Dance", garantindo ao Barão Vermelho a oportunidade de abrir a turnê de Rod Stewart no Brasil. No ano seguinte, 1989, ainda com a popularidade em alta, o Barão lançou o seu sétimo álbum, Barão ao Vivo, gravado em São Paulo, e, nesse mesmo ano, a gravadora Som Livre lançou a coletânea, Os melhores momentos de Cazuza e o Barão Vermelho. Em 1990, depois de constantes desentendimentos, o baixista abandonou a banda, dando lugar a Dadi da Cor do Som. Ao mesmo tempo, Maurício Barros regressa aos teclados da banda. Também nesse ano, o Barão grava o álbum, Na Calada da Noite, mostrando o lado mais acústico do grupo.

 

É nesse álbum que está a música "O Poeta está Vivo"; uma alusão a Cazuza, que morreria alguns meses depois de complicações causada pelo vírus da AIDS. Em 1992, são eleitos como a melhor banda do Hollywood Rock daquele ano. O baixista Dadi foi então substituído por Rodrigo Santos. O seu décimo-primeiro álbum, Puro Êxtase, foi lançado em 1998. Em 2001, após apresentar-se no Rock in Rio 3 - Por Um Mundo Melhor, os integrantes resolveram dar uma pausa na banda a fim de desenvolverem projetos pessoais. No ano de 2004, a banda se reuniu novamente e lançou o álbum, Barão Vermelho. Em agosto de 2005, a banda gravou o seu primeiro DVD, MTV ao vivo - Barão Vermelho, gravado no Circo Voador com a regravação de "Codinome Beija-Flor", com a inclusão da voz de Cazuza pelo telão. Após uma turnê de 2 anos, no dia 12 de janeiro de 2007, a banda faz seu último show no Rio de Janeiro, antes de nova parada. Em 2012, a reunião da banda foi uma comemoração pelos 30 anos de carreira do grupo e do lançamento do primeiro álbum. O show contou com o baixista Dé Palmeira como convidado especial. Após esses eventos, a banda entrou novamente em recesso, a partir de março de 2013, sem previsão de volta. No dia 19 de setembro de 2016, o percussionista Peninha faleceu vítima de uma hemorragia estomacal. Em 17 de janeiro de 2017 a banda anunciou retorno oficial aos palcos, porém, sem a participação de Roberto Frejat, que foi substituído pelo vocalista e guitarrista Rodrigo Suricato, líder da banda Suricato. Em novembro de 2017, o baixista Rodrigo Santos saiu da banda. 

 Rockdigital