A Bolha

Foi uma banda de rock brasileira. No Rio de Janeiro, em 1965, a banda The Bubbles foi formada por Renato Ladeira guitarra rítmica, o seu irmão César na guitarra solo, Ricardão no baixo, que logo foi substituído por Lincoln Bittencourt, e Ricardo Reis na bateria, tocando cover e versões de rock and Roll. Com essa formação, são convidados pela gravadora Musidisc e gravam o compacto simples, “Não Vou Cortar o Cabelo”, versão de "Break It All" da banda uruguaia Los Shakers, no lado A e “Por Que Sou Tão Feio”, versão do hit "Get Off Of My Cloud" dos Rolling Stones, no lado B, lançado em 1966. O convite se deu nos bastidores da gravação de um programa de TV e o compacto que se seguiu não fez muito sucesso devido a falta de divulgação por parte da gravadora e da banda. Em 1968, são convidados para serem a banda de apoio de Márcio Greyck na gravação do seu álbum. Ainda em 1968, César Ladeira decide deixar a banda para se dedicar aos estudos, abandonando a carreira artística. Também Lincoln e, posteriormente, Ricardo deixariam a banda. Para o lugar deles, entram na banda Pedro Lima na guitarra solo, Arnaldo Brandão no baixo e Johnny na bateria. Com essa formação, o som da banda fica mais pesado, mas, ainda assim, continuam como uma das grandes sensações do circuito de bailes de fim de semana carioca. Após participar de shows e programas de TV, abriram para os Herman’s Hermits, no Rio de Janeiro. Em 1970, Pedro, Arnaldo e Gustavo foram a banda de Gal Costa em apresentações ao vivo e aparições na TV em Portugal, e foram convidados para tocar em um dos palcos alternativos ao principal, de forma acústica no Festival da Ilha de Wight em 1970.  

 

Nesse mesmo ano, Johnny sai e dá lugar a Gustavo Schroeter na bateria. Após essa experiência na Europa, os três voltam para o Brasil e contam para Renato a decisão de seguir outro caminho, fazer música própria, em português, e parar de fazer covers e versões. Eles passam a compor e ensaiar um novo repertório, próprio, e mudam o nome para A Bolha, mudando também a sua sonoridade, que passaria a ter influências no acid rock e no rock progressivo. O primeiro grande teste para o novo repertório foi a participação da banda no Festival de Verão de Guarapari, em fevereiro de 1971. Ainda em 1971, participam do VI Festival Internacional da Canção defendendo a música “18:30”, e gravam o compacto simples, “Sem Nada” / “18:30 (Parte I)” e “Os Hemadecons Cantavam em Coro Chôôôôôôô”, lançado no mesmo ano. A banda participou do álbum, Vida e Obra de Johnny McCartney, com o cantor da Jovem Guarda, Leno (ex-Leno & Lílian), produzido por Raul Seixas. Em 1972, ganham o prêmio de melhor banda no Festival Internacional da Canção (FIC). A Bolha grava o seu primeiro álbum, Um Passo à Frente, que saiu em 1973 pela Continental. Nesta época, a banda contava com Pedro Lima na guitarra, harmônicos, vocal, Renato Ladeira  no órgão Hammond, Farfisa, Vox, guitarras, vocal, Lincoln Bittencourt no baixo, vocal e Gustavo Schroeter na bateria, vocal. No ano seguinte, participam da gravação do primeiro compacto duplo de Raul Seixas

 

Gustavo Schroeter foi para o Veludo e Arnaldo Brandão saiu da banda. Entram Serginho Herval, na bateria, e Roberto Ly, no baixo. Com esta formação, participam do Festival Banana Progressiva, realizado no Teatro da Fundação Getúlio Vargas, em São Paulo, entre os dias 29 de maio e 1 de junho.  Ainda em 1975, Renato Ladeira deixa a banda para tocar no Bixo da Seda e para o seu lugar é escolhido Marcelo Sussekind. Em 1977 gravam o seu segundo álbum, É Proibido Fumar, cujo som marca uma volta ao rock clássico e ao hard rock, mais próximo do som da Jovem Guarda. A seguir realizam uma turnê abrindo para Erasmo Carlos sendo que, na sequência, tocavam como banda de apoio do artista. Esta turnê contou com a volta de Renato Ladeira nos teclados. Durante a turnê a banda grava o álbum novo de Erasmo, Pelas Esquinas de Ipanema, que sairia em julho de 1978. Logo após o fim da turnê, a banda encerra as suas atividades. Nos anos 1980, Renato Ladeira fundou a banda Herva Doce. Em 2004, o diretor José Emílio Rondeau convidou Renato Ladeira para ser diretor artístico do seu filme, 1972. Renato mostrou algumas músicas que haviam sido censuradas no início dos anos 70 e o diretor se interessou, então ele chamou seus companheiros de banda para gravarem aquelas músicas para o filme. Da reunião acabou surgindo a vontade de gravar um novo disco com aquele material e mais alguns covers, gerando o álbum, É Só Curtir, lançado em 2006, pela Som Livre. Apesar do lançamento do disco, a banda não chegou a sair em turnê. A coletânea, The Bubbles - Raw and Unreleased, foi lançada em 2010 pela Groovie Records, contendo gravações raras e, algumas, nunca antes lançadas pela banda A Bolha.

 Rockdigital