Inocentes

É uma banda brasileira de punk rock. A banda foi formada em agosto de 1981, por três ex-membros do Condutores de Cadáver, o guitarrista Antônio Carlos Callegari, o baterista Marcelino Gonzales e o baixista Clemente, que já havia tocado no Restos de Nada, a primeira banda punk paulistana. E chamaram o novato Maurício para assumir os vocais. Em 1982, foram convidados, junto com Cólera e Olho Seco, a participar da coletânea Grito Suburbano, o primeiro registro sonoro das bandas punks brasileiras. Eles viraram personagens do documentário Garotos do Subúrbio em 1982, e do curta Pânico em SP. No fim do mesmo ano, já com um novo vocalista, Ariel Uliana Jr., participam do festival O Começo do Fim do Mundo, no SESC Pompéia, em São Paulo, que foi registrado ao vivo e lançado em coletânea em 1983, e entraram em estúdio para gravar o seu primeiro álbum, Miséria e Fome, lançado no mesmo ano. Porém todas as treze músicas foram censuradas, forçando a banda a alterar as letras de três delas, que foram registradas no EP Miséria e Fome. Participam do média-metragem Punks, e no fim do ano, já como um trio com Clemente nos vocais, a banda se apresenta no Napalm em São Paulo.

 

A coletânea Grito Suburbano é lançado na Alemanha com o nome de Volks Grito, e a banda é incluída na coletânea Life is Joke, que contou com bandas punk do mundo inteiro. Em 1986, Branco Mello dos Titãs leva uma demo deles para a Warner Bros. que os contrata, e lançam o mini-LP Pânico em SP, tornando-se a primeira banda punk brasileira a gravar por uma multinacional. O segundo álbum pela Warner, Adeus Carne, foi lançado em 1987. O terceiro álbum, Inocentes, foi lançado em 1989 pela Warner. As gravações foram um tanto tumultuadas e a banda não fez shows de lançamento em São Paulo e no Rio. Tonhão e André Parlato saem da banda e são substituídos por César Romaro na bateria e Mingau no baixo. A Warner dispensa a banda. Em 1991, uma demo com a música "O Homem Negro" chegou à Rádio 89FM e tocou sem parar, e em 1992, lançam o álbum, Estilhaços, quase todo acústico pelo selo Cameratti. Em 1994, o álbum, Subterrâneos, foi lançado pela Eldorado. A banda participa do curta-metragem Opressão, onde interpreta a si mesma e Clemente é assassinado em pleno palco por um bando de skinheads nazistas.

 

Clemente grava com Thaíde & DJ Hum, uma versão de "Pânico em SP", sendo a primeira colaboração oficial entre músicos de rock e rap em São Paulo. O Inocentes faz a abertura do show dos Ramones no Olímpia, em São Paulo. No final de 1995, a banda entra em estúdio e grava o álbum, Ruas, que foi lançado em 1996, pela Paradoxx. A banda toca no primeiro Close-up Planet com Sex Pistols, Bad Religion, Silverchair e Marky Ramone em São Paulo e Rio. Em 1998, entram em estúdio e gravam o álbum, Embalado a Vácuo, lançado pela Paradoxx, que o vende para a Abril Music, que o relança, em 1999. Seu último trabalho pela Abril Music foi o álbum, O Barulho dos Inocentes, lançado em 2000. Fizeram o show de abertura do Bad Religion no Credicard Hall. Em 2004, gravaram o álbum, Labirinto, pelo selo Ataque Frontal. A partir deste mesmo ano, Clemente assumiu o segundo vocal da Plebe Rude no lugar de Jander Bilaphra. Desde então, se divide entre as duas bandas. Em 2007, na comemoração dos 25 anos de carreira, a banda gravou o DVD Som e Fúria, no Centro Cultural São Paulo. O registro foi lançado somente em 2009 pela Monstro Discos. No final de 2013 a banda lançou o álbum, Sob Controle, pela Substancial Music

 Rockdigital