Ratos de Porão

É uma banda punk brasileira. Em 1981, com o crescimento do punk que começava a tomar forma em São Paulo, o guitarrista João Carlos Molina Esteves, o Jão, formou o Ratos de Porão com seu primo Roberto Massetti, o Betinho na bateria e o amigo Jarbas Alves, o Jabá no baixo. Em 1982 participam do festival O Começo do Fim do Mundo, que reuniu vinte bandas no SESC Pompeia, em São Paulo, tornando-se um marco do movimento punk brasileiro. Em 1983, o guitarrista Mingau entra para a banda, gravaram seu primeiro registro musical no álbum de coletânea, Sub, lançada em 1983 pelo selo Estúdios Vermelhos. Após o lançamento do álbum, Betinho decide sair da banda, e Jão passa para a bateria. O vocalista João Gordo é convidado a entrar na banda para assumir os vocais. Em 1984 lançam o seu primeiro álbum, Crucificados pelo Sistema, o primeiro álbum individual de uma banda punk da América Latina e um álbum pioneiro de hardcore. Na época da gravação desse álbum coincidiu com o chamado fim do movimento punk de São Paulo, devido a brigas e rixas de gangues. Em razão disso não houve show de lançamento do álbum e o Ratos de Porão se desfez.

 

Em 1984, a música "Parasita" saiu no álbum de coletânea internacional, World Class Punk, lançada em K7 pelo selo ROIR de Nova York. Os integrantes da banda só ficaram sabendo de sua participação após seu lançamento, e até hoje não receberam nenhum centavo pela participação, apesar da coletânea ter dado um bom retorno financeiro. Apesar disso, serviu na época para divulgar o Ratos de Porão pelo mundo. A banda retornou em 1985, com a formação original com Jão nos vocais e guitarra, Jabá no baixo e Betinho na bateria e gravaram o álbum, Ao vivo no Lira Paulistana, junto com a banda Cólera. Após o lançamento, João Gordo retorna à banda e participa da gravação do álbum de coletânea de várias bandas punk, Ataque Sonoro, lançado em 1985. Após o lançamento da coletânea, Betinho sai da banda de forma definitiva, e Spaghetti entra em seu lugar. Em 1987, assinam com a Cogumelo Discos, e lançam o álbum, Cada Dia Mais Sujo e Agressivo, em duas versões, uma gravada em português e outra em inglês. Nessa época, também fazem o primeiro show com bandas dos gêneros musicais punk e metal do Brasil. Devido a divulgação do álbum, a banda assina com a Roadrunner Records.

 

Em 1990, gravam o álbum, Anarkophobia, novamente na Alemanha, e realizam uma turnê europeia para divulgação do álbum. Em 1992 lançam o álbum, RDP ao Vivo, gravado ao vivo em São Paulo, com o baterista Boka no lugar de Spaghetti, que saiu da banda após a turnê europeia. Em 1996 lançam o álbum, Carniceria Tropical, pela Paradoxx. No exterior, esse álbum marca o início de uma parceria entre a banda e a gravadora Alternative Tentacles, de propriedade de Jello Biafra, ex-vocalista do Dead Kennedys. Essa parceria dura até os dias atuais. Para comemorar seus vinte anos de estrada, regravam o primeiro álbum com o nome de Sistemados pelo Crucifa, que vem com uma revista contando a trajetória da banda. Em 2003, o Ratos de Porão assinou com a gravadora Century Media e lançou o álbum, Onisciente Coletivo. Depois de oito meses parados, os Ratos de Porão tocaram no festival paulista Maquinaria Rock Fest em 17 de maio de 2008. Século Sinistro é o décimo terceiro álbum de estúdio da banda, lançado em 2 de setembro de 2014. Foi eleito o sétimo melhor álbum nacional de 2014 pela Rolling Stone Brasil.

 Rockdigital