O Terço

É uma banda de rock brasileira. O Terço surgiu no final da década de 1960, e a primeira formação foi Sérgio Hinds no baixo, Jorge Amiden na guitarra e Vinícius Cantuária na bateria. Essa formação gravou o seu primeiro álbum, O Terço, lançado em 1970, com uma mistura de rock anos 50, folk e música clássica. Com a canção "Velhas Histórias", o grupo ganhou o Festival de Juiz de Fora. Em um outro festival universitário, a banda ficou em segundo lugar com a canção, "Espaço Branco". A banda também se classificou em terceiro lugar com a canção, "Tributo ao Sorriso" e a canção, "O Visitante" ficou em quarto lugar, em duas edições do Festival Internacional da Canção, se tornando a banda revelação pela mídia especializada. Sérgio Hinds saiu da banda para tocar com Ivan Lins, e foi substituído pelo baixista Cezar de Mercês, e depois Sérgio retornou, completando o quarteto. Jorge Amiden que era a principal mente criadora saiu da banda depois de um desentendimento. Sérgio Hinds registrou o nome O Terço. Ainda em meados de 1972, O Terço participou da gravação do álbum, Vento Sul de Marcos Valle, e junto com ele fizeram uma turnê por todo o país e tocaram no Festival do Midem em Cannes, na França. No ano seguinte, O Terço lançou o seu segundo álbum, O Terço, com influência do rock progressivo. O músico Paulo Moura participou do álbum, tocando saxofone alto na canção, "Você aí".

 

Após esse lançamento, Vinícius Cantuária deixou a banda para tocar com Caetano Veloso. Entraram na banda o baixista Sérgio Magrão e o baterista Luiz Moreno. A aproximação com a dupla Sá e Guarabyra deu uma guinada na carreira de O Terço, que foram convidados a gravar o álbum, Nunca, da dupla, lançado em 1974. Esta proximidade com o chamado rock rural da dupla influenciou muito a sonoridade da banda. Sérgio Hinds pediu a indicação de um tecladista para Milton Nascimento, que indicou Flávio Venturini. Cezar de Mercês deixou a banda, mas continuou como compositor e colaborador. O seu terceiro álbum, Criaturas da Noite, foi lançado em 1975. Visando o mercado internacional, a banda gravou o vocal em inglês e lançou o álbum, Creatures of the Night, lançado no ano seguinte. A banda foi morar em uma fazenda, em São Paulo. E gravou o álbum, Casa Encantada, lançado em 1976. Em meados de 1977, Flávio Venturini decidiu deixar o grupo para fazer um trabalho junto com Beto Guedes. Cezar de Mercês voltou e trouxe com ele o tecladista Sérgio Kaffa. O quinto álbum da banda, Mudança de Tempo, foi lançado em 1978. Nessa época, O Terço fez o seu primeiro concerto internacional chamado Concerto Latino-Americano de Rock. Foram três concertos no Brasil e dois concertos na Argentina.

 

Sérgio Hinds sofreu um acidente, impossibilitando de continuar a tocar por um bom tempo. A banda contratou Ivo de Carvalho para ocupar a guitarra e terminar os possíveis compromissos. No mesmo ano, a banda terminou. Sérgio Magrão junto com os irmãos Flávio e Cláudio Venturini, Vermelho e Hely Rodrigues criaram a banda, 14 Bis. Em 1982, Sérgio Hinds reformou O Terço com o tecladista Ruriá Duprat, o baixista Zé Português e o baterista Franklin Paolillo, lançando o álbum, Som Mais Puro. Depois o grupo teve um novo recesso. Na década de 1990, Sérgio Hinds reuniu o grupo periodicamente, com formações diversas, para a gravação de vários álbuns. Por volta de 2001, Flávio Venturini fez um concerto no DirecTV Hall em São Paulo e convidou seus velhos companheiros de O Terço. A partir daí, os músicos começaram os ensaios para o retorno definitivo do grupo. A ideia era a gravação de um álbum ao vivo com algumas faixas inéditas. O baterista Luiz Moreno sofreu uma parada cardíaca e faleceu, levando o grupo a desistir temporariamente da ideia do retorno. Com o apoio da esposa de Moreno, Irinéa Ribeiro, o grupo resolve continuar o projeto. O trio Sérgio Hinds, Flávio Venturini e Sérgio Magrão, junto com o baterista Sérgio Mello resolvem continuar. Em 2005, a banda faz 3 concertos. O primeiro foi dia 4 de maio no Canecão no Rio, onde foi gravado um DVD.

 Rockdigital