RPM

É uma banda de rock brasileira. Em 1980, Paulo Ricardo namorava Eloá, que morava em frente à casa de Luiz Schiavon, a quem foi apresentado e se tornaram amigos. Paulo recebeu o convite para integrar o Aura, uma banda de jazz-rock. Depois de três anos de ensaios e nenhum show, Paulo decidiu morar na Europa, primeiro na França e depois em Londres, de onde escrevia sobre novidades musicais para a revista Somtrês. O RPM surgiu no final de 1983, em São Paulo pela dupla, Paulo Ricardo e Schiavon. Juntos, criaram as primeiras canções. "Olhar 43", "A Cruz e A Espada" e a música que batizara a banda, "Revoluções por Minuto". Gravaram uma fita demo destas canções com uma bateria eletrônica e encaminharam à gravadora CBS. O nome 45 RPM (45 rotações por minuto) foi sugerido inicialmente em uma lista de nomes feita por uma amiga. Schiavon e Paulo Ricardo gostaram do nome, mas tiraram o 45 e mudaram o Rotações por Revoluções. Eles convidaram o guitarrista Fernando Deluqui e o baterista Junior Moreno, na época com apenas 15 anos. Logo a banda começou a se apresentar em casas noturnas e então Junior teve de sair, por ainda ser menor de idade. Quem se tornou o novo baterista foi Charles Gavin que completou o grupo. Já batizados de RPM, conseguiram um contrato com a gravadora Sony Music, com o compacto de 1984, que viria com as faixas "Louras Geladas" e "Revoluções por Minuto", que foi censurada na época.

 

O compacto fez muito sucesso, e logo em seguida, gravaram o seu álbum de estreia, Revoluções por Minuto, lançado em Maio de 1985. O álbum está na lista dos 100 maiores discos da música brasileira da revista Rolling Stone Brasil. O baterista Paulo P.A. Pagni, entrou para o RPM como convidado no meio da gravação do álbum, o que explica a sua ausência na capa. Charles Gavin saiu da banda para participar dos Titãs. Logo depois dos primeiros shows de divulgação, o RPM fecha contrato com o empresário Manoel Poladian. Rádio Pirata ao Vivo, é o segundo álbum da banda, lançado em 1986. Está entre os álbuns mais vendidos da história da indústria fonográfica do Brasil, com mais de 3 milhões de cópias vendidas. Mesmo com todo o sucesso no Brasil e em países como França e Portugal, a banda passava por uma situação difícil. Em junho, houve o lançamento oficial do álbum, RPM & Milton, com a participação de Milton Nascimento. O projeto RPM Discos, um selo próprio do grupo, foi um fracasso e acabou causando conflitos entre os integrantes da banda. Ainda em 1987, eles anunciaram a separação oficial da banda. O grupo retomou as atividades em 1988, com o segundo álbum de estúdio, RPM, mais conhecido como Quatro Coiotes, lançado em 4 de abril de 1988. O álbum ganhou disco de platina. Apesar disso, o número era um fracasso para os padrões do RPM, que se separa novamente. A banda regravou "A página do relâmpago elétrico", para o álbum, Cais, um tributo ao compositor Ronaldo Bastos, lançado pela Som Livre em 1989, sem o tecladista Luiz Schiavon e o baterista Paulo P.A. Pagni.

 

Após a turnê do álbum, Paulo e Fernando resolveram sair da banda. Em 2001, os quatro músicos do RPM se encontraram novamente para ensaiar, dando início ao retorno da banda. É lançado o single "Vida Real", uma versão em português da canção "Leef" do holandês Han van Eijk, o tema oficial da primeira edição do Big Brother Brasil, que fora encomendada pela Rede Globo. A banda voltou à mídia com o CD e DVD, MTV RPM 2002, gravado no Teatro Procópio Ferreira, em São Paulo. O CD obteve o disco de platina. Em 2003, novamente com a MTV, participaram do projeto Luau MTV. Ao final da turnê, a banda começa a trabalhar um disco de inéditas mas acabam novamente se separando. Paulo Ricardo e o baterista Paulo P.A. Pagni formaram a banda PR.5. Em 2007, o RPM tocou junto com todos os seus integrantes em São Paulo. A pré-estreia da Tour 2011, aconteceu na Virada Cultural em São Paulo, e a estreia foi no dia 20 de maio de 2011, no Credicard Hall, também em São Paulo. Um mês após essa apresentação, foi divulgado o título do novo álbum, Elektra, que foi disponibilizado quatro músicas para download no site oficial da banda. O álbum foi lançado em novembro de 2011, pela Building Records em um formato duplo. No final de 2014, o RPM anuncia a gravação do álbum, Deus ex Machina. O álbum fica pronto no ano seguinte, mas é descartado. Após cumprir a agenda de shows até o início de 2017, a banda anunciou hiato e posteriormente, foi anunciado que Paulo Ricardo não tinha mais interesse em prosseguir com a banda. Schiavon, Deluqui e P.A decidem continuar com a banda e chamam o baixista e vocalista Dioy Pallone para substituir Paulo RicardoPaulo P. A. Pagni morreu no dia 22 de junho de 2019, em decorrência de uma fibrose pulmonar.

 Rockdigital