t-bone.jpg
rip.png
T-Bone Walker

Aaron Thibeaux Walker nasceu em Linden, Texas no dia 28 de maio de 1910. Foi um guitarrista de blues, cantor e compositor Americano. Seu padrasto, Marco Washington, foi um membro da Dallas String Band e ensinou Walker a tocar violão, ukulele, banjo, violino, bandolim e piano. Walker começou sua carreira adolescente em Dallas na década de 1920. Blind Lemon Jefferson, um amigo da família, às vezes vinha para jantar na sua casa. Walker deixou a escola aos 10 anos, e aos 15 ele era um artista profissional no circuito de blues. Inicialmente, ele era o protegido de Jefferson que o levava pela cidade para seus shows. Em 1929, Walker fez a sua primeira gravação, lançando o single "Wichita Falls Blues" / "Trinity River Blues" com a Columbia Records, anunciado como Oak Cliff T-Bone. Oak Cliffé é a comunidade em que ele vivia na época, e T-Bone é uma corruptela de seu nome do meio. O pianista Douglas Fernell fez o acompanhamento do single. Aos 25 anos, Walker trabalhava em clubes da Avenida Central, em Los Angeles, às vezes como cantor e guitarrista da Les Hite And His Orchestra. Em 1940, ele gravou o single "T-Bone Blues" com a Les Hite para o selo Varsity, mas foi apresentado apenas como cantor. Em 1942, Charlie Glenn, o dono do Café Rhumboogie, trouxe T-Bone Walker para Chicago por longos períodos em seu clube.

 

Em 1944 e 1945, Walker gravou para o selo Rhumboogie, vinculado ao clube, apoiado pela orquestra de Marl Young. Em 12 de outubro de 1946, T-Bone Walker se apresentou no segundo show Cavalcade of Jazz, realizado no Wrigley Field em Los Angeles, com vários ártistas. Ele também se apresentou no terceiro concerto Cavalcade of Jazz realizado no mesmo local no dia 7 de setembro de 1947, com vários artistas. Grande parte de sua produção foi gravada de 1946 a 1948 pela Black & White Records, incluindo sua canção mais famosa, "Call It Stormy Monday (But Tuesday Is Just as Bad)" de 1947. Outras canções que ele gravou durante este período foram "Bobby Sox Blues", um sucesso da Billboard R&B número 3 em 1947 e "West Side Baby", número 8 na parada de singles da Billboard R&B em 1948. Ao longo de sua carreira, Walker trabalhou com músicos de primeira linha, incluindo o trompetista Teddy Buckner, o pianista Lloyd Glenn, o baixista Billy Hadnott, e o saxofonista tenor Jack McVea. Ele gravou de 1950 a 1954 para a Imperial Records apoiado por Dave Bartholomew. O seu álbum, T-Bone Blues, foi gravado durante três sessões amplamente separadas em 1955, 1956 e 1959 e foi lançado em 1959 pela Atlantic Records. No início dos anos 1960, a carreira de Walker desacelerou, apesar de uma atuação enérgica no American Folk Blues Festival em 1962 com o pianista Memphis Slim e o músico Willie Dixon, entre outros.

 

O álbum ao vivo, The Greatest Jazz Concert in the World, foi gravado no dia 26 de março de 1967 no Carnegie Hall, em Nova York, com T-Bone Walker, Duke Ellington e sua orquestra, Ella Fitzgerald, Oscar Peterson, Coleman Hawkins, Clark Terry e Zoot Sims. Foi lançado em 1975. O álbum, I Want a Little Girl, foi gravado pela Delmark Records em 1968. O álbum, Stormy Monday Blues, foi lançado em 1968 pela BluesWay. O álbum, Funky Town, também foi lançado no mesmo ano. O seu álbum, Good Feelin', foi gravado em Paris em 1968 e lançado em 1969 pela Polydor Records, e recebeu um Grammy Awards na categoria de Melhor Gravação Folclórica Étnica ou Tradicional em 1970. O álbum, Everyday I Have the Blues, também foi lançado em 1969, sendo o seu segundo álbum solo no ano. Walker se apresentou no American Folk Blues Festival em Hamburgo, em março de 1972. O seu álbum, Fly Walker Airlines, foi lançado em 1973. A carreira de Walker começou a desacelerar depois que ele sofreu um derrame em 1974. Ele faleceu de pneumonia brônquica após outro derrame em março de 1975, aos 64 anos. Walker foi postumamente incluído no Blues Hall of Fame em 1980, e no Rock and Roll Hall of Fame em 1987.