libertines.jpg
The Libertines

É uma banda de rock inglesa. Peter Doherty e Carl Barât se conheceram quando Barât estava estudando teatro na Brunel University em Uxbridge e dividia um apartamento em Richmond com Amy-Jo Doherty, a irmã mais velha de Peter. Barât  e Doherty se mudaram para um apartamento na Camden Road, no norte de Londres, que chamaram de The Albion rooms. Com seu vizinho Steve Bedlow, eles formaram a banda The Strand, e mais tarde mudou o nome para The Libertines em homenagem a Lusts of the Libertines do Marquês de Sade. Em 1998, Johnny Borrell assumiu o baixo e no ano seguinte, foi substituído por John Hassall. Muitos de seus primeiros shows aconteceram no apartamento compartilhado por Doherty e Barât. Eles haviam se reservado para os estúdios Odessa e tocado no Filthy Macnasty's Whiskey Cafe em Islington, onde Peter trabalhava como barman. Roger Morton achou que a banda tinha potencial e se ofereceu para gerencia-los e ficou durante seis meses sem sucesso. Em março de 2000, Banny Pootschi, advogado da Warner Chappell Music Publishing, assumiu o gerenciamento da banda. A banda assinou com a Rough Trade Records. O baterista Gary Powell foi recrutado. O baixista Hassall retornou a pedido da banda. Doherty e Barât alugaram um apartamento na 112a Teesdale Street em Bethnal Green, que chamaram de The Albion Rooms, e se tornou um local para muitos de seus shows no Guerilla. Agora com uma formação firme, eles começaram a fazer mais shows ao lado do The Strokes e do The Vines. O seu primeiro single foi um duplo A-side de "What a Waster" e "I Get Along" que foi lançado em 3 de junho de 2002 e alcançou a posição 37 na UK Singles Chart. O seu primeiro álbum, Up the Bracket, foi lançado em 21 de outubro de 2002, e alcançou a posição 35 na UK Albums Chart. Durante a gravação do álbum e na turnê, o uso de drogas de Doherty aumentou muito e seu relacionamento com o resto da banda se deteriorou.

 

Como uma marca de seu compromisso com a banda, Doherty e Barât fizeram tatuagens da palavra Libertine em seus braços, com a caligrafia de Carl. De volta ao Reino Unido, as tensões continuaram a crescer enquanto Doherty organizava e fazia shows de guerrilha aos quais Barât não comparecia. Doherty continuou a tocar com o seu projeto solo, enquanto o o The Libertines completou compromissos de turnê no Japão sem ele. Atormentado e zangado, Doherty roubou o apartamento de Barât e foi posteriormente preso. Em 11 de agosto, ele se confessou culpado na audiência preliminar da acusação de roubo. O single "Don't Look Back into the Sun" foi lançado em 18 de agosto e ficou na posição 11 na UK Singles Chart. Em 7 de setembro, Doherty foi condenado a 6 meses de prisão. Ele cumpriu a pena na prisão de Wandsworth. Esta sentença foi posteriormente reduzida para dois meses, e ele foi solto em outubro de 2003. Após uma reunião da banda, eles fizeram um show no pub Tap'n'Tin, em Chatham, Kent, com Hassall e Powell. Banny Pootschi renunciou e foi substituído como empresário por Alan McGee. No início de 2004, o The Libertines ganhou o NME Awards na categoria de Melhor Banda. Doherty havia voltado ao vício das drogas e por isso os relacionamentos estavam tensos. Em 14 de maio de 2004, Doherty foi admitido no The Priory, um retiro na tentativa de superar seus vícios. No dia em que Doherty deixou o retiro pela segunda vez, e falou com BarâtHassall e Powell, que estava indo para Wat Tham Krabok, na Tailândia, para ficar limpo. O The Libertines apresentaram um breve set naquela noite, e foi a última vez que eles tocaram juntos por mais de seis anos. O The Libertines não deixou Doherty tocar com eles, mas prometeram que quando ele limpar dos seus vícios, será imediatamente bem-vindo de volta à banda. O seu segundo álbum, The Libertines, foi lançado em 30 de agosto de 2004 e liderou a UK Albums Chart.

 

O seu single final "What Became of the Likely Lads" alcançou a posição 9 na UK Singles Chart. O The Libertines fez o que seria seu show final por mais de cinco anos, em Paris no dia 17 de dezembro de 2004, ainda sem Doherty. Barât dissolveu a banda, já que ele não estava mais disposto a fazer turnês e gravar sob o nome sem Doherty. Os membros da banda se reuniram várias vezes no palco ao longo dos anos para tocar músicas do The Libertines. Em 29 de março de 2010, a banda se reformou para os Festivais de Reading e Leeds no dia 27 de agosto no Bramham Park, em Leeds e no dia 28 de agosto em Little John's Farm, em Reading. A banda deu uma entrevista coletiva no dia 31 de março de 2010 para discutir sua reforma no pub Boogaloo. A coletiva de imprensa então se transformou em um show da Guerrilla improvisado com a banda tocando muitas de suas músicas antigas. Em agosto, Carl Barât e Pete Doherty embarcaram em suas turnês solo. O The Libertines tocou no dia 5 de julho de 2014 no Hyde Park de Londres, como atração principal, e no Alexandra Palace, em setembro. Em 2015, Doherty completou com sucesso o seu tratamento de reabilitação no Hope Rehab Center, na Tailândia, e se juntou a seus companheiros de banda na gravação de seu terceiro álbum de estúdio. A banda foi atração principal do festival T in the Park, na Escócia, no Reading e Leeds Festival, e no Corona Capital Music Festival na Cidade do México. Em 26 de junho, a banda foi o convidado especial surpresa no Pyramid Stage em Glastonbury 2015. O seu terceiro álbum, Anthems for Doomed Youth, foi lançado em 11 de setembro de 2015. Em janeiro de 2016, a banda saiu na sua Anthems For Doomed Youth Tour no Reino Unido. Em 2019, o The Libertines anunciou a sua On the road to the Wasteland Tour pela Europa.