rip.png
Big Joe Turner

Joseph Vernon Turner Jr. nasceu em Kansas no Missouri no dia 18 de maio de 1911. Foi um cantor americano de blues. Ele nasceu em Kansas City, e foi nessa cidade nas casas noturnas que ele começou sua carreira como barman e cantor. Kansas, naqueles dias, um viveiro de jazz e blues. Ele se juntou com o pianista Pete Johnson nominalmente mencionado nas canções "Roll 'Em Pete" e "Johnson & Turner Blues". Turner também cantou com as grandes bandas de Count Basie e Benny Moten quando eles vieram na sua cidade. Turner e Johnson ajudaram a popularizar o boogie-woogie e o blues no final dos anos trinta e início dos anos quarenta. O pesquisador de talentos, John H. Hammond em 1938, os convidou para tocarem em Nova York em um de seus concertos, o "From Spirituals to Swing" no Carnegie Hall. Turner e Johnson fizeram sucesso com a canção "Roll 'Em Pete". Em 1939, juntamente com os músicos de boogie woogie, eles começaram a se apresentar no Café Society, uma boate em Nova York, onde apareceram na mesma playbill, uma revista mensal dos EUA para os espectadores de teatro, com Billie Holiday e a banda de Frankie Newton.

 

No ano seguinte, Turner assinou contrato com a Decca e gravou "Piney Brown Blues", com Johnson no piano. Em 1941, ele foi para Los Angeles e se apresentou com Duke Ellington. Los Angeles foi a sua casa por um tempo, e durante 1944, trabalhou com Meade Lux Lewis. Em 1945, Turner e Pete Johnson estabeleceram seu bar em Los Angeles, o The Blue Moon Club. Nesse mesmo ano, ele assinou contrato com a National Records com a supervisão de Herb Abramson. Seu primeiro single de sucesso foi "SK Blues", uma versão de Saunders King em 1945. Ele gravou as canções "My Gal's A Jockey" e "Around The Clock" no mesmo ano, e a Aladdin Records lançou "Battle of the Blues", um dueto com Wynonie Harris. Em 1946, Turner teve seu primeiro sucesso de R & B, "My Gal's a Jockey", lançado pela National Records. Turner ficou com o National até 1947, mas nenhuma de suas gravações vendeu bem. Em 1950, ele lançou a música "Still in the Dark" com a Freedom Records. Turner fez muitos álbuns com Johnson, Art Tatum, Sammy Price, e outros grupos de jazz. Ele gravou com várias gravadoras, incluindo a Decca, National e Aladdin, e também se apresentou com a Count Basie Orchestra. Durante sua carreira, Turner foi parte da transição das Big Bands para o blues, e finalmente, para o rock and roll.

 

Em 1951, Turner foi para a Atlantic Records, onde ele tocou uma seqüência de rhythm & blues e clássicos do rock & roll na década seguinte. "Shake, Rattle and Roll" e "Honey Hush" foram sucessos particularmente grandes, superando os rankings de R & B por três e oito semanas, respectivamente. Turner agora era uma estrela do rock and roll, cantando canções para o mercado emergente de jovens e aparecendo no filme adolescente Shake, Rattle and Rock. Nenhuma outra figura juntou rock and roll e rhythm & blues com tal autoridade como Turner. Mas as raízes musicais de Turner eram demasiado profundas para limitá-lo ao mercado teen. O trabalho definitivo de Turner para a Atlantic veio em 1956, The Boss of the Blues: Joe Turner Sings Kansas City Jazz, que foi o seu primeiro álbum de estúdio. Nos anos sessenta, após a primeira onda de rock and roll, Turner voltou ao blues e o boogie-woogie. Ele se mudou para Los Angeles, onde gravou com lendas do jazz como Dizzy Gillespie, Count Basie e Roy Eldridge para alguns álbuns bem recebidos pela Pablo Records. Durante 1966, Bill Haley ajudou a reviver a carreira de Turner emprestando os Comets para uma série de gravações populares no México. Big Joe Turner continuou gravando e atuando até sua morte em 24 de novembro de 1985, aos 74 anos de insuficiência cardíaca, tendo sofrido os efeitos mais adiantados da artrite, por causa da diabete. Ele foi incluído no Rock and Roll Hall of Fame em 1987.