King Crimson

É uma banda inglesa de rock. Em agosto de 1967, os irmãos Michael e Peter Giles, anunciaram a formação de uma nova banda. O guitarrista Robert Fripp respondeu e eles formaram a banda Giles, Giles and Fripp. A banda gravou vários singles mal sucedidos e o álbum, The Crazy Insanity of Giles, Giles e Fripp. Os três recrutaram Ian McDonald, que trouxe sua então namorada Judy Dyble, e também Peter Sinfield, com quem ele escrevia canções. Greg Lake se juntou a eles substituindo Peter Giles na banda. A primeira encarnação do King Crimson foi formada em Londres em 30 de novembro de 1968. A banda fez sua estreia ao vivo em 5 de julho de 1969 tocando no show gratuito dos Rolling Stones no Hyde Park, Londres em julho de 1969. O seu primeiro álbum, In the Court of the Crimson King, foi lançado em outubro de 1969 pela Island Records. Depois de fazer shows por toda a Inglaterra, a banda excursionou pelos EUA. Michael Giles e McDonald ficaram insatisfeitos com a direção da banda, e se demitiram durante a turnê nos EUA. Fripp e Sinfield gravaram . O álbum alcançou o número 4 no Reino Unido e o número 31 nos EUA. Haskell deixou a banda depois do lançamento do segundo álbum, In the Wake of Poseidon, em 1970. McCulloch também partiu, deixando Fripp e Sinfield para recrutar novos membros mais uma vez. A posição de baixista foi para Raymond "Boz" Burrell em 1971. Fripp pediu a Sinfield para deixar a banda. A banda restante se separou de forma amarga nos ensaios.

 

O King Crimson se reformou para cumprir os compromissos da turnê em 1972, com a intenção de se desfazer posteriormente. Embora as relações pessoais tenham melhorado, Fripp optou por se separar da banda existente e reestruturar o King Crimson com novos membros. A terceira formação principal do King Crimson foi composta pelo percussionista Jamie Muir, o baterista Bill Bruford, o baixista John Wetton e o violinista e tecladista David Cross. O King Crimson retomou a turnê em 13 de outubro de 1972 no Zoom Club em Frankfurt. O álbum, Larks 'Tongues in Aspic in London, foi lançado em março de 1973. O álbum alcançou a 20ª posição no Reino Unido e a 61ª nos EUA. Muir partiu em 1973. Após o lançamento do álbum, Starless e Bible Black, que foi lançado em março de 1974, a banda começou a se dividir mais uma vez. Fripp sentiu que o mundo ia acabar em 1981 e que ele tinha que se preparar para isso. A banda se separou formalmente em 25 de setembro de 1974 quando Fripp anunciou que o King Crimson havia deixado de existir. Entre 1975 e 1980, a banda estava inativa. Em 1981, Fripp decidiu formar uma nova banda, mas não tinha a intenção de reformar o King Crimson. Ele recrutou Bill Bruford como baterista, o vocalista Adrian Belew e o baixista Tony Levin. Fripp nomeou o novo quarteto de Discipline, e a banda foi para a Inglaterra. Em outubro de 1981, a banda optou por mudar o seu nome para King Crimson, e gravaram o álbum, Discipline, que foi lançado em setembro de 1981.

 

O álbum, Three of a Perfect Pair, foi lançado em março de 1984. Após a turnê, Fripp dissolveu o King Crimson novamente. No final das quatro execuções no Projekts entre 1998 e 1999, Bruford e Levin deixaram a banda. Os membros restantes se reuniram como um duo duplo para escrever e gravar o álbum, The Construkction of Light, lançado em maio de 2000. O King Crimson lançou seu décimo terceiro álbum, The Power to Believe, em outubro de 2003. No mês seguinte, Gunn deixou a banda e foi substituído pelo retorno de Tony Levin. Uma nova formação do King Crimson foi anunciada em 2007 com Fripp, Belew, Levin, Mastelotto e o segundo baterista, Gavin Harrison. Em agosto de 2008, após um período de ensaios, os cinco completaram a turnê de 40 anos da banda. Logo em seguida, o King Crimson começou outro hiato após a turnê de 40 anos. Em 2011, uma banda chamada Jakszyk Fripp Collins e com o subtítulo A King Crimson ProjeKct, lançou o álbum, A Scarcity of Miracles. Em agosto de 2012, Fripp anunciou sua aposentadoria da indústria da música, e em setembro de 2013, ele anunciou repentina e inesperadamente o retorno do King Crimson com uma reforma muito diferente da anterior com sete músicos, quatro ingleses e três americanos, e com três bateristas. Adrian Belew não foi convidado a participar, encerrando assim seu mandato de 32 anos no King Crimson. Em 7 de dezembro de 2016, Greg Lake morreu de câncer. Em 31 de janeiro de 2017, John Wetton morreu de câncer de cólon. 

 Rockdigital