Veludo

Foi uma banda brasileira de rock progressivo. O baixista Nelson Laranjeiras e o tecladista Elias Mizrahi formaram a banda Antena Coletiva com Ari Mendes em 1972. A banda terminou quando a banda de Zé Rodrigues precisou de um tecladista, e Elias foi indicado. Lá ele conheceu o guitarrista Paul de Castro, que sugeriu a formação de uma nova banda com o nome do seu antigo grupo, o Veludo Elétrico, que tinha na sua formação, o Lulu Santos e Fernando Gama, que saíram para formar o Vímana. Elias concordou em participar, mas somente com o nome Veludo. Em 1973, Nelsinho também estava montando uma nova banda com Ari Mendes, o guitarrista Paulinho Muylaerte e Miguel Pedra. Antes de uma apresentação num festival, Miguel nomeou a banda de Penetrando por Todo Caminho Sem Fraquejar. Enquanto isso, Elias e Paul contrataram o baterista Gustavo Schoeter, o saxofonista Pestana e o baixista Pedro Jaguaribe para estrear o Veludo em março de 1974 no Teatro João Caetano.

 

Duas semanas depois de um show transmitido no programa Sábado Som pela Rede Globo, Pestana e Jaguaribe saíram da banda e contrataram Nelsinho Laranjeiras. O Veludo participou do Festival Hollywood Rock no dia 18 de janeiro de 1975 no Rio de Janeiro e do Banana Progressiva em São Paulo. A banda teve a participação do tecladista Patrick Moraz do Yes, no show no Teatro Tereza Raquel em 1975, e abriu o show do Bill Haley and His Comets no Maracananzinho em 1976. A música "Barriga de Fora" da banda, participou da trilha sonora da novela Roque Santeiro da Rede Globo em 1975 que foi censurada pela ditadura. Schroeter saiu da banda e Ari Mendes foi contratado. Logo em seguida, Paul de Castro foi convidado para entrar nos Mutantes. Duas semanas depois, Elias também saiu. Mulyaerte do Penetrando foi trazido para o Veludo, juntamente com o baterista Afonso Correa e a multi-instrumentista Flavia Cavaca.

 

Miguel Pedra do Penetrando, também assume os vocais do VeludoElias também retorna ao Veludo por insistência de Nelsinho, e decide sair novamente. Em 1978, Nelsinho reuniu o veludo e anunciou o fim da banda. Em 1980, Nelsinho reagrupou a banda para um show no torneio de Surf na Praia do Arpoador, no Rio de Janeiro. Em 1994, foi lançado o álbum ao vivo, Veludo ao Vivo, gravado no Festival Banana Progressiva em 1975. Paul de Castro faleceu em 1999. O seu primeiro CD de estúdio, A Re-volta, foi lançado em 2002. Miguel Pedra faleceu no dia 3 de outubro de 2012, no Amazonas. O CD, Penetrando por Todo Caminho Sem Fraquejar, foi lançado em 2016. No dia 30 de setembro de 2017, Nelsinho reagrupa o Veludo com Claudio Fonzi e diversos músicos, e se apresenta no Teatro Solar de Botafogo, no Rio. O CD duplo ao vivo, Veludo ao Vivo 1975 à 2018, foi lançado em 2020.
  

 Rockdigital