Jimmy Page

 

James Patrick Page nasceu em Heston, em Middlesex, Londres no dia 9 de janeiro de 1944. É um músico, produtor musical e compositor inglês. Entre as suas primeiras influências estavam os guitarristas de rockabilly, Scotty Moore e James Burton, que tinham tocado juntos em uma gravação de Elvis Presley. A canção "Baby Let's Play House", de Presley, é citado por Page como sua inspiração para tocar guitarra. Aos 13 anos, Page participou do show de talentos All Your Own de Huw Wheldon com um quarteto de skiffle, que foi ao ar na BBC1 em 1957. Após passagens como músico de apoio do poeta beat Royston Ellis no Mermaid Theatre entre 1960 e 1961, e o cantor Red E. Lewis, ele foi convidado pelo músico Neil Christian para fazer parte de sua banda, The Crusaders, depois de vê-lo com quinze anos de idade tocando em um salão local. Page excursionou com Christian durante aproximadamente dois anos e depois tocou em várias de suas gravações, incluindo o single "The Road to Love", de 1962. Enquanto estudante, Page tocou muitas vezes no Marquee com bandas como: Cyril Davis All Stars, Alexis Korner’s Blues Incorporated e com os guitarristas Jeff Beck e Eric Clapton. Uma noite foi visto por John Gibb dos Silhouettes, que lhe pediu para ajudar a gravar uns singles para a EMI, "The Worrying Kid" e "Bald Headed Woman", mas só após ter recebido um convite de Mike Leander da Decca Records, é que Page começou a ter trabalho certo como músico de estúdio.

 

A sua primeira gravação para esta editora, o single de “Jet Harris & Tony Meehan”, “Diamonds", chegou a Nº 1 de vendas nas tabelas de 1963. Depois de fazer alguns trabalhos com Micky Finn, e Carter Lewis and The Southerners Page dedicou-se por completo ao trabalho de estúdio. Em 1965, Page foi contratado pelo empresário dos Rolling Stones, Andrew Loog Oldham, o que lhe deu acesso a tocar em faixas de John Mayall, Nico e Eric Clapton, na recém formada Immediate Records. Page também fez uma parceria breve com a sua namorada na época, Jackie DeShannon. Após ter sido convidado a substituir Eric Clapton nos Yardbirds em Março de 1965, Page recusou a oferta e sugeriu o seu amigo Jeff Beck. Passado pouco tempo foi oferecida outra vez a Page a oportunidade de se juntar aos Yardbirds e começou por tocar guitarra baixo com o grupo após a partida de Paul Samwell-Smith, até que Chris Dreja passou para o baixo, e Page dividiu a guitarra com Jeff Beck. Apesar da partida de Keith Relf e Jim McCarty em 1968, Page preferiu continuar com o grupo com uma formação nova e com o nome, The New Yardbirds. Após várias apresentações realizadas na sua primeira digressão, os The New Yardbirds mudaram o nome para Led Zeppelin

 

Após a separação dos integrantes do Led Zeppelin, devido a morte do baterista John Bonham em 1980, Page tentou dar forma a um super grupo com ex membros dos Yes que se chamaria XYZ mas que não deu em nada. Em 1984, gravou com o ex- vocalista do Led ZeppelinRobert PlantIn the guise of The Honeydrippers”. Vários outros projetos se seguíram como The Firm, com Paul Rodgers, trabalho de estúdio para Graham Nash, Box of Frogs, e Robert Plant, um álbum a solo Outrider, uma colaboração com David Coverdale em Coverdale Page, e um álbum ao vivo dos Black Crowes. Em 1994, Page reúne-se com Robert Plant para o penúltimo MTV Unplugged. O especial de 90 minutos chamado "UnLedded" foi premiado com as mais altas audiências da história da MTV. A trilha sonora desse concerto seria editada em 1995 como No quarter. Os membros remanescentes do Led Zeppelin foram induzidos no Rock and Roll Hall of Fame em 1995. Jason e Zoë Bonham também participaram, representando seu falecido pai. Depois de uma digressão altamente bem sucedida em 1995 para a divulgação de “No quarter”, Page e Plant gravaram Walking into Clarksdale em 1998, o primeiro álbum completo juntos desde 1979. Em 2008 participou do documentário It Might Get Loud, do diretor Davis Guggenheim, ao lado do The Edge do U2 e jack White do White Stripes

 Rockdigital